Os direitos dos imigrantes em solo europeu

No que diz respeito à questão dos direitos dos imigrantes que permanecem em solo europeu, é necessário ter em conta desde o início cada uma das declarações ou acordos internacionais que foram feitos para resolver esta questão, em que a maioria deles eles apontam que os direitos fundamentais terão que ser respeitados. Apesar disso, por causa das notícias que circulam na mídia e até pelo que pode ser visto nas ruas, surge a questão dos direitos dos imigrantes em solo europeu, porque não há clareza suficiente.

O Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais foi assinado em 1966, embora não tenha entrado em vigor até 10 anos depois. O seu objectivo do jd immigration é defender a dignidade de todas as pessoas, pelo que insta os estados signatários a garantir o seu exercício “sem qualquer discriminação em razão da raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou outra, nacionalidade ou status social, posição econômica, nascimento ou qualquer outra condição social”.

Direitos dos imigrantes em solo europeu

É frequentemente mencionado que, para a nossa geração, as migrações são um fenómeno relevante e, por vezes, são vistas como o elemento mais importante que moldou o modo como vivemos. Nesse sentido, principalmente por parte dos países que se localizam nos primeiros lugares em termos de maior acolhimento dos imigrantes, políticas públicas têm sido formadas para permitir que os imigrantes se ajustem às condições de seus territórios e gozem de alguns direitos.

No entanto, devemos também deixar claro que em outros países que fazem parte do solo europeu foi oficialmente notificado que suas portas não estão abertas para os imigrantes ou quando não desenvolvemos estratégias para que seus governos facilitem adaptação dos migrantes.

Em qualquer caso, a tarefa do migrante e das autoridades que os recebem consiste em esclarecer se esse país no território europeu optou por uma política de legalização, integração ou uma combinação. Em outras palavras, esses direitos são mediados por uma macro política que estabelece se os imigrantes são legalizados ou simplesmente integrados.

Da mesma forma, embora em termos legais sejam estabelecidos procedimentos ou métodos de conduta para lidar com os imigrantes, também devemos pensar no transbordamento que está ocorrendo em certas áreas do solo europeu, o que levou ao fato de que, em essência, não é cumprido. tudo o que é mencionado. Com um panorama como o descrito, a posição mínima que se assume é a dos direitos fundamentais dos imigrantes e, dependendo das políticas particulares de cada território, podem ser dados vários passos adiante ou não.

Em conclusão, os direitos são um conceito difuso que não pode ser generalizado em toda a Europa, e por isso mesmo vale a pena fazer uma análise detalhada de acordo com o território de interesse.